menor

Projetos para estabelecimentos da Saúde

_DSC7534 p

A Logi Arquitetura sinaliza exigências no planejamento de obras relacionadas à Saúde

As edificações que têm relação com a área da saúde requerem atenção especial no que diz respeito a assuntos como segurança, acessibilidade e assepsia, devendo respeitar as exigências e recomendações que a vigilância sanitária e órgãos correlatos fazem para cada estabelecimento, de acordo com seu porte, seu uso e a complexidade de seu funcionamento.

De forma geral, qualquer projeto que envolva produtos ou serviços de interesse da saúde precisa considerar soluções, formas, materiais e acabamentos que privilegiem a higiene e a limpeza, condições adequadas de iluminação e ventilação dos ambientes e estudos cuidadosos de fluxos – dos diferentes tipos de usuários, de produtos, de processos, de resíduos, entre outros – que permitam o perfeito funcionamento do estabelecimento sem que uma atividade atrapalhe a outra. Um fator que deve ser considerado é o cuidado com as normas de acessibilidade, como pisos apropriados e adaptação em portas, rampas, elevadores e sanitários, já que há o atendimento a uma grande diversidade de pessoas, saudáveis ou não. Isso tudo, como em qualquer outra obra, pode e deve ser aliado a questões relacionadas a sustentabilidade, como sombreamento de fachadas, cobertura verde e uso de água de chuva, por exemplo.

A arquiteta e sócia da Logi Arquitetura Clarisse Petroski explica que “o atendimento às normas e as aprovações de órgãos responsáveis, como a Vigilância Sanitária, são fundamentais para que um empreendimento relacionado à saúde funcione corretamente, seja após sua inauguração, uma reforma ou ampliação. Dependendo do caso, o local precisará ser vistoriado também por outros órgãos, como Corpo de Bombeiros, Secretaria de Urbanismo, Secretaria do Meio Ambiente, entre outros”. Segundo Adriano Dorigo, sócio-proprietário da Logi Arquitetura, “a Secretaria de Saúde da prefeitura de Curitiba possui a Resolução 05/2010, que determina quais atividades econômicas de interesse da saúde necessitam de projetos previamente analisados por esse órgão para instalação e funcionamento no município. Aquelas que não precisarem aprovar os projetos, serão avaliadas apenas na vistoria presencial dos fiscais”. Em qualquer situação, os arquitetos destacam a importância do cliente procurar o auxílio de um profissional especializado para a elaboração do projeto.

A Logi Arquitetura desenvolve projetos específicos para hospitais, clínicas, consultórios e demais EASs (Estabelecimentos Assistenciais de Saúde). A clínica Le Corp, localizada em Araucária, é uma das concepções recentes elaboradas pela empresa. Atualmente, a obra se encontra em fase de execução e comportará serviços médicos, estéticos e de odontologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>