Telhado verde: uma solução ecoeficiente para as grandes cidades

Os profissionais da Logi Arquitetura comentam sobre as vantagens do sistema e sua legalização

A cidade de Recife, com o intuito de aumentar áreas verdes e diminuir os efeitos do calor, sancionou no dia 13 de abril a Lei Municipal 18.112/2015 que obriga a implantação dos telhados verdes em edifícios residenciais com quatro pavimentos e área coberta acima de 400 metros quadros. Outras cidades ainda estão em processo de avaliação para tornar o uso obrigatório de telhados eco sustentáveis, como é o caso de Curitiba.

Os profissionais do escritório Logi Arquitetura comentam que ainda há uma certa resistência para implementação desse tipo de telhado, tanto por parte dos clientes como dos profissionais, seja por desconhecimento ou referências equivocadas. “Dimensionado, executado e mantido corretamente, o sistema não apresenta problemas. Curitiba já exige, por exemplo, que as construções tenham um sistema de aproveitamento da água da chuva, então parece natural que aos poucos sejam exigidas também outras estratégias sustentáveis, como os telhados verdes”, comenta o sócio proprietário da empresa, Adriano Dorigo.

Antes de implantar telhados verdes é preciso pensar na logística para levar os componentes do sistema até o local de instalação, visto que o acesso às coberturas geralmente é limitado. Além disso, deve-se tomar alguns cuidados fundamentais, como dimensionar a sobrecarga produzida pelo sistema (peso próprio e acúmulo de água) na edificação. “Há a necessidade de adequar ou especificar corretamente o sistema de impermeabilização e drenagem de águas para a implantação do sistema de cobertura verde escolhido”, explica Clarisse Petroski, sócia proprietária e arquiteta da Logi Arquitetura. Além disso, é preciso verificar o uso de espécies mais adequadas para a cidade, associadas às condições climáticas do local, considerando tipos vegetais que demandem menos manutenção.

Contudo, para os profissionais é preciso pensar além das dificuldades iniciais. “Uma vez realizados os estudos, a implementação do telhado verde acarreta em muitas vantagens para o imóvel e para o ambiente urbano como um todo”, ressalta Adriano. Dentre os pontos positivos destacam-se: isolamento térmico e acústico da edificação; prolongamento da vida útil da cobertura, funcionando como camadas protetoras para as lajes impermeabilizantes; absorção da água da chuva, desafogando o sistema público de coleta pluvial; e redução da exposição de superfícies construídas, minimizando o aquecimento e a emissão de calor desses elementos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>