_DSC8569 p

Vantagens na utilização do vidro

Logi Arquitetura comenta sobre o uso do vidro em fachadas de edifícios

Valorizar o imóvel é o objetivo de qualquer proprietário de residências e comércio. Contribuindo para isso, o vidro pode ser usado em paredes, coberturas e até mesmo em pisos como estratégia para resolver aspectos de luminosidade, controle térmico e plasticidade. O material é um aliado moderno e tecnológico, que confere identidade e avaliação positiva da obra.

O arquiteto Adriano Dorigo, sócio-proprietário da Logi Arquitetura, atenta para a funcionalidade do vidro, que permite “conexão visual entre áreas externas e internas, agindo também como uma estratégia de eficiência energética relacionada à captação de luz natural”. Sob o ponto de vista econômico, os vidros podem reduzir o consumo de energia originado por sistemas artificiais de iluminação e climatização, se bem posicionados em relação ao sol e atendidas as especificações corretas. Áreas envidraçadas mal dimensionadas ou mal posicionadas podem comprometer o desempenho térmico da edificação, por aquecimentos indesejados, então é fundamental que o projeto e a escolha do vidro mais adequado para a obra seja feita por um profissional capacitado.

Deve-se considerar as necessidades de privacidade dos locais que irão receber vidros em suas fachadas. Para isso, pode-se optar por vidros refletivos, que também garantem maior proteção solar. Como outras alternativas, recorre-se ao uso de vidros serigrafados, coloridos, translúcidos, ou valer-se de persianas ou cortinas para conseguir a solução desejada.

Áreas envidraçadas também trazem leveza ao ambiente. Clarisse Petroski, arquiteta e sócia-proprietária da Logi Arquitetura, aponta que o vidro “é um material que alia funcionalidade e beleza, além de possuir um caráter sustentável, por ser reciclável”. Ao longo da história da Arquitetura, há inúmeras obras significativas que ilustram a relação do vidro com as edificações, como o Palácio de Cristal, de Joseph Paxton (1851), a Glass House, projetada por Philip Johnson em 1949 ou a grande cúpula do Reichstag, em Berlim, do arquiteto Norman Foster, completada em 1999, somente para citar alguns exemplos. “A Revolução Industrial é um marco significativo para o uso do vidro, pois foi responsável pela ampliação da utilização desse material em edificações”, finaliza Dorigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>